sexta-feira, 11 de março de 2016

Insight.

Inúmeras vezes na vida passamos por situações que colocam na nossa frente a duvida maior: Qual o sentido da vida?
Nestes casos questionamos de maneira filosófica, ou quase, este sentido, entretanto alguns casos colocam isto em mais evidência. Na minha vida, quando eu tive este insight, foi no nascimento de minha filha. Tudo ocorria de maneira aceitável em minha vida, a certeza de trabalhar, fazer o bem, estudar e etc. tudo para eu chegar o mais próximo do conceito de felicidade. Mas então, naquela sala de parto apenas um som fez tudo isso mudar, o choro de minha filha, um lindo bebê (pais sempre acham seus filhos mesmo recém nascidos lindos) saudável, pego ela no colo e ainda chorando ela me olha nos olhos. Pronto, foi ai que tudo mudou, todas minhas certezas, todos meus objetivos, mas não uma mudança como uma em que se estuda a melhor opção, ou que se não for assim não vai dar certo, mas sim uma mudança como se sempre fosse este o sentido de sua vida, cuidar deste bebê, fazer o melhor para ela, trabalhar para ela, fazer o bem para ela, estudar para ela. É como se sua certeza anterior ao nascimento nunca houvesse se quer existido, é quando se vê o quanto se é pequeno, mas ao mesmo tempo grande e importante, sabendo que essa vida nova depende de ti, mas você depende muito mais dela, ela passa a ser sua vida também. Neste insight, neste estalo, eu questionei qual o sentido da vida? Esta pergunta talvez eu não saiba responder, mas, qual o sentido da minha vida? Essa sim, chama-se Isadora.

terça-feira, 1 de julho de 2014

A vida passa a taxa de um segundo por segundo, ela é dinâmica, continua mesmo quando seu coração está quebrado, o destino é inexorável, implacável, não permeia bondade, as águas seguem seu fluxo, e mesmo absorto em nossa solidão o tempo não para, não podemos lamentar por muito tempo, o luto é temporário, amor imaginário, o silêncio má companhia e você chora para sentir que está vivo, que não é apenas matéria orgânica sobre a terra, que faz, que fará diferença, que será lembrado por alguém, afinal não temos medo de morrer, mas sim de morrer sozinho.

Ama-te total, terna e tragicamente.

Aprovação

“Bem, eu realmente aprendi algumas coisas e uma delas é que a felicidade não tem nada a ver com a aprovação das outras pessoas. O que é realmente importante é estar feliz com você mesmo, encontrar alguém que é importante para você e seguir adiante sem ligar para que os outros falam.”

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Toda forma de amar.

      Não preciso gritar para o mundo que te amo se sussurro em seu ouvido todas as noites, muito menos fazer provas de amor medíocres, como aqueles que as olham, pois a maior prova deste mesmo amor está em acordar ao seu lado todas as manhãs e ainda assim te achar linda, tão pouco vou fazer qualquer coisa, por mais que queiras, que meu coração não mande, pois é nele que reside toda minha paixão e amor, toda a insanidade dos seus olhos ao cruzar os meus, e é ao seu lado, dia após dias, que provarei tudo que sinto, e não de forma banal como a bestialidade humana.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

As dores do mundo

Divorcio-me do que me entorpecia da mais sorrateira e mortal ignorância.
Escolho não segregar mas ,sim, tornar-me um signo de adição empaticamente passivo a estender a mão.
Não serei, eu ,mais um que opta por uma cegueira voluntária para não perder o apetite me preocupando com as falácias do mundo.
Quero despir-me de mim mesmo para ver o que realmente sou e assim, talvez, sentir as dores de um parto que em muitos casos o corpo não tem forças para abrigar a alma e já nasce com previsível hora e lágrima de partir.

Texto do meu querido amigo Leandro Batilli.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Não gosto de você o tempo todo.

Eu te amo e sempre vou te amar, mas não vou gostar de você o tempo todo, nem concordar com sua opinião, mas vou repeita-la.
Estarei sempre ao seu lado, mas isso não quer dizer que vou falar sim para tudo, discordar também é uma prova de amor.
A final uma relação é conviver com as diferenças.