sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Deixa pra lá

Deixa pra lá, vamos adiando, empurrando com a barriga, o bom e velho: “Um dia marcamos.” Mas sabendo, bem no fundo, que é melhor não marcar. E bem no fundo é medo, aquele medo de te conhecer de verdade, e então, deixar de te admirar. Então, deixa pra lá. Admiramo-nos de longe. À distância do amor perfeito.

Árvore

Que nós somos semente, somos como as árvores, com raízes fortes chegamos até o céu, neste caminhar perdemos folhas, mas outras hão de vir, assim como os amores, que vem e vão, mas o que fica é quem somos, ficam nossas raízes.

sábado, 27 de julho de 2019

O pior de mim

Estou tentando ser bem honesto, o pior de mim é a insegurança, mas não só isso, o pior são as consequências desta, tudo que faço para me auto afirmar como ser humano, tudo que faço tentando superar os traumas do passado. Às vezes para me aceitar, para ficar de bem comigo mesmo, machuco outras pessoas, e o pior, machuco quem menos eu deveria, e de antemão já peço desculpas. Entretanto eu sei que escusas é pouco pelo que fiz e pelo que eu faço. A vida seria muito simples se com apenas um pedido de desculpas tudo voltasse ao normal, mas não volta, e eu hei de te machucar novamente. O pior de mim é não saber quando parar, é essa inquietação que me toma. E você nessa história? Você desperta o melhor em mim. 

terça-feira, 28 de maio de 2019

Ciclos

A vida é feita de ciclos, o rio que vira nuvem, que vira chuva, que vira rio. Da árvore, que dá fruto, que dá semente, que vira árvore. Então nos conhecemos, fomos felizes, terminamos, e tudo virou quietude. Tempos depois, nos reencontramos, somos felizes, terminamos, entretanto, não há quietude. Talvez esse ciclo não tenha terminado. Ou talvez viver de ciclos é o que a vida nos reserva.

sábado, 12 de janeiro de 2019

Entregar-se

Todo sexo deveria ser uma Orgia, se não for, pelo menos um ménage à trois: Eu, você e o verbo. Pois todo ato de amor nada mais é do que uma conversa, uma conversa entre as almas. E nesse nosso conversar, emanemo-nos amor. 

quinta-feira, 26 de abril de 2018

Inverno

        Aperte meu coração, tome-o em suas mãos e o esmague, tão forte até o sentir escorrer por entre os dedos, até eu sentir o frio da espinha passar, até que as borboletas do meu estômago não mais voem, destrua todo e qualquer sentimento de afeição que tenho por ti, após então, reclame muito de como me tornei alguém tão frio e insensível. Mas no fundo, dentro de sua alma, sabes que foste a culpada pelo inverno que me tornei. 

sexta-feira, 11 de março de 2016

Insight.

Inúmeras vezes na vida passamos por situações que colocam na nossa frente a duvida maior: Qual o sentido da vida?
Nestes casos questionamos de maneira filosófica, ou quase, este sentido, entretanto alguns casos colocam isto em mais evidência. Na minha vida, quando eu tive este insight, foi no nascimento de minha filha. Tudo ocorria de maneira aceitável em minha vida, a certeza de trabalhar, fazer o bem, estudar e etc. tudo para eu chegar o mais próximo do conceito de felicidade. Mas então, naquela sala de parto apenas um som fez tudo isso mudar, o choro de minha filha, um lindo bebê (pais sempre acham seus filhos mesmo recém nascidos lindos) saudável, pego ela no colo e ainda chorando ela me olha nos olhos. Pronto, foi ai que tudo mudou, todas minhas certezas, todos meus objetivos, mas não uma mudança como uma em que se estuda a melhor opção, ou que se não for assim não vai dar certo, mas sim uma mudança como se sempre fosse este o sentido de sua vida, cuidar deste bebê, fazer o melhor para ela, trabalhar para ela, fazer o bem para ela, estudar para ela. É como se sua certeza anterior ao nascimento nunca houvesse se quer existido, é quando se vê o quanto se é pequeno, mas ao mesmo tempo grande e importante, sabendo que essa vida nova depende de ti, mas você depende muito mais dela, ela passa a ser sua vida também. Neste insight, neste estalo, eu questionei qual o sentido da vida? Esta pergunta talvez eu não saiba responder, mas, qual o sentido da minha vida? Essa sim, chama-se Isadora.

terça-feira, 1 de julho de 2014

A vida passa a taxa de um segundo por segundo, ela é dinâmica, continua mesmo quando seu coração está quebrado, o destino é inexorável, implacável, não permeia bondade, as águas seguem seu fluxo, e mesmo absorto em nossa solidão o tempo não para, não podemos lamentar por muito tempo, o luto é temporário, amor imaginário, o silêncio má companhia e você chora para sentir que está vivo, que não é apenas matéria orgânica sobre a terra, que faz, que fará diferença, que será lembrado por alguém, afinal não temos medo de morrer, mas sim de morrer sozinho.

Ama-te total, terna e tragicamente.

Aprovação

“Bem, eu realmente aprendi algumas coisas e uma delas é que a felicidade não tem nada a ver com a aprovação das outras pessoas. O que é realmente importante é estar feliz com você mesmo, encontrar alguém que é importante para você e seguir adiante sem ligar para que os outros falam.”