sábado, 20 de março de 2010

Cores

Todas as manhãs o pobre menino acordava assustado,
Ia até a sua janela e olhava o horizonte, bem onde juntava o mar e o céu,
O pobre menino não sabia onde um começava e onde o outro terminava,
Mas de uma coisa ele sabia, sabia que cores tão lindas ele jamais tinha visto,
Sabia o quão lindo era os tons de verde e azul que o mar e o céu lhe brindavam todas as manhãs,
Sabia também que até mesmo quando eles ficavam em um tom de castanho, tão raro que deixava o verde e o azul em sombras,era ainda mais bunito,
Por toda sua vida ele olhava dia após dia por horas as cores de sua vida, quando o sol brilhava em seu primeiros raios ele sorria de alegria, e quando a lua chagava ele chorava de emoção com o tom em prata que sua vida ganhava,
Ele sabia que as cores davam sentido a sua vida, e sabia que jamais acharia cores como aquelas,
Ele corria pra casa todos os dias para ve-las,
E se perguntava onde seria seu céu, passou a vida a procurar,
Passou por todas as partes e lugares do mundo e mesmo assim nada de achar suas cores,
Mas um dia encontrou uma janela ainda mais bela que da sua infância,
Mostrava tudo que sempre sonhou e procorou em toda sua vida,
E ficou ali parado olhando, admirando, enquanto sua janela sorria,
Então ela se forá, partiu nos olhos da menina por quem se paixonou,
E na janela de seus olhos, ele soube onde era seu lugar,
Seu lugar é onde ela estiver"




Dedicado a Marcele Chaves


NescaU

Um comentário:

Rodrigo disse...

Belo post!

Abraço!