segunda-feira, 4 de julho de 2011

Amor e outras drogas

Vejo tudo que você me obrigou a fazer,
Obrigou talvez não, manipulou,
Ou melhor, seduziu,
Com esse gosto doce na boca,
E hoje abstêmio de você vejo tudo que fiz,
E quem magoei,
Nem coragem tenho de pedir desculpas,
Talvez nem olhar nos olhos delas,
Quem fiz chorar por sua causa,
Não sei se foi bom ou ruim o tempo que você me usou,
Não sei se o quero de volta, mas sinto falta de algo,
Hoje estou no que chamam de sobriedade,
Mas mesmo assim sinto seu gosto em meus lábios,
Seu cheiro em cada parte de mim,
Não sei se te perdi ou se foi melhor assim,
E isso foi o que restou pra mim de você!

Nenhum comentário: