segunda-feira, 12 de março de 2012

Alguém que transborde.


Tenho que aprender a não ser tão dependente de alguém.
Não só financeiramente, mas sentimentalmente também.
Poder pagar minhas próprias contas, ter meu próprio lar, com varanda talvez.
Poder rir sozinho, chorar sozinho, seja de dor ou de alegria.
Mas sem esquecer que ser independente não é o mesmo que estar só.
Tenho que parar de procurar minha outra metade.
Tenho que aprender a ser completo e procurar quem me transborde.

Nenhum comentário: